06/06/2009

A QUEDA DO AVIÃO E O "TESTEMUNHO" DO PASTOR


A voz de Deus salvou do voo 447 da Air France o pastor missionário da Assembleia de Deus em Paris, Gláucio Oliveira, 29 anos.


O religioso já tinha reservado um lugar no avião que caiu no Oceano Atlântico, quando recebeu, na última quinta-feira, uma ‘ordem’ para não prosseguir com a viagem. O recado foi dado por uma amiga. Jussara Gonçalvez, 37 anos, participava de um grupo de orações e foi chamada pela colega Renata Carnevale, 30, que dizia ter recebido uma mensagem do Senhor. “Não deixe o varão viajar, a cova dele está aberta. Ele vai morrer”, afirmou Renata.



Chorando muito, Jussara ligou na mesma hora para o pastor. Assustado, Gláucio não confirmou a reserva: “Eu ia de TAM no sábado, mas, desde que um amigo, também pastor, morreu num acidente da empresa, eu só voo de Air France, que considerava o melhor avião do mundo. Mas Deus me enviou a Renata, que recebeu a revelação de que, se eu entrasse naquele avião, minha cova estava aberta. Nós só nos vimos uma vez, ela nem sabia que eu ia viajar. Por isso, quando a Jussara me transmitiu a mensagem, fiquei apavorado. Orei a Deus e senti no coração que não devia ir. Ele foi fiel a mim, porque sempre lhe obedeci”. Renata, a mulher que salvou a vida do pastor, está de cama desde a manhã de segunda-feira, quando soube da queda do avião. Por telefone, ela confirmou ter recebido uma mensagem de Deus: “Não foi visão, eu apenas entreguei um recado do Senhor”


Fonte: Jornal Meio-Dia Edição de 3/06/2009
Via: Bereianos, Pavablog, Genzinah e Cristiano Santana.


É uma pena perceber que nós, cristãos, perdemos a dimensão da eternidade em nós. Nós estamos tão massacrados pelo tempo e pelo espaço, e a religião se transformou num megafone que faz propostas e promessas de suposto cumprimento imediato, e que roubou do coração das pessoas toda fé na eternidade. O que temos é corredor de sal grosso para você passar 30 vezes, e se passar bem passado, e freqüentar a reunião da corrente dos empresários, ou se entrar em qualquer outro sistema, em qualquer outra mecânica espiritual, no fim, diz-se que você pode ter um carro novo, um apartamento ou qualquer outra coisa. Não tem mais Cruz, não tem mais sangue, não tem eternidade, não tem pacificação com Deus. O que se tem agora é simplesmente consumo. E essa fézinha que está aí...na hora em que o tranco da existência bate firme, bate forte e bate fundo na gente, ela não sobrevive, porque ela existe apenas por fazer a promessa de que se você cumprir determinadas coisas, alguns benefícios imediatos lhes serão garantidos; nada mais do que isso... Agora, paz com Deus, tem que produzir em mim uma expectativa que transcenda o tempo, o espaço, o imediato, a violência, o estado de emergência, a crise familiar, as perdas imediatas, os lutos, as aflições.



Paulo diz em Romanos 5:1-8: "que Cristo morreu por nós, quando nós ainda éramos pecadores”, estranhos, inimigos, alienados, sem saber de coisa alguma, Ele se reconciliou conosco, esperando apenas que a gente se reconciliasse com Ele para que nós usufruíssemos do bem que já nos está garantido. De tal modo que a minha reconciliação pela fé, não é o que faz Deus mudar de idéia a meu respeito. A reconciliação da parte de Deus já está feita, eu é que não sabia. Nem você. E, enquanto isso..., vivíamos no padecimento da neurose, da angústia, da fobia, da culpa, das trocas, das barganhas, do altar da religião, do despacho, e de todas as aflições... Aquela agonia! Sem falar que sem paz com Deus a vida passa a acontecer um permanente estado de suspeição contra o céus. “Será que alguma coisa aconteceu comigo? Ih, meu Deus! Eu perdi o Táxi. Será que é por que tem alguma coisa? Será que Deus está me preparando alguma?” É um sentimento de suspeição o tempo todo! O cara chega no aeroporto, na hora de pegar o avião, ele tem medo de que se aquele avião vá cair; ou se ele está ali e ele perde o avião, ele já interpreta aquilo: “Ai, graças a Deus, vai ver que é porque esse vai cair.” Não está nem preocupado com os 199 que estão lá dentro!



Sim, a maioria vive vida muito miserável. A gente vive, e a gente não se dá conta de como se vive uma vida de medo, medo, medo... o dia inteiro medo... medo de tudo. Mas quando a paz com Deus se estabeleceu dentro de mim, o benefício é todo meu. Já está feito, eu é que não sabia. Mas quando eu creio, o benefício vem para mim como paz. E ai, surge dentro de mim, uma dimensão completamente nova, que transcende o imediato. Eu continuo vivendo na terra, mas já me glorio na esperança da glória de Deus. Já não existem mais fatalidades. Já não existe mais absurdo. Já não existe mais interrupção da vida. Quem crer na minha palavra já passou da morte para a vida. Já há uma âncora firme e forte jogada para além de todos os véus, plantada em Deus, e que me garante que eu, conquanto esteja aqui, já estou lá, assentado nas regiões celestiais em Cristo Jesus. Morri com Ele, ressuscitei com Ele, estou sentado nos lugares celestiais com Ele, apesar de estar suando aqui na frente de vocês... Tá feito! E eu me glorio nessa esperança.


Louvo a Deus pela intervenção feita na vida do irmão, mas acho que ele não precisava sair com esta cara de babaca na foto, principalmente em função das famílias enlutadas que certamente se perguntarão "Que Deus é este que salva um e deixa mais de duzentos morrerem?".
A vida é assim, todos os dias uns morrem e outros nascem é um ciclo basta ler Eclesiastes, e isto quer dizer que a cova do irmão continua aberta, bem como a minha e de todo o ser humano, apenas não sabemos o dia, a hora e nem o modo como acontecerá.
Pior que morrer é viver com o cinismo e com uma santa arrogância de ser um queridinho de Deus .

4 comentários:

Juber Donizete Gonçalves disse...

Cláudio,

Boa sua citação do livro de Eclesiástes, pois lá diz justamente isso, que a calamidade e o dia bom, acontecem tanto na vida do justo como do impio. Obrigado pela visita ao meu blog e pela postagem do texto.

Graça e Paz.

Emeurgência na Igreja disse...

bah claudinho que tristeza isso né, lamentavel, tinha comentado o mesmo texto la no genizah... bem passei pra te deixar um link bem gaúcho pra dar umas boas risadas,... heaehaeah espero que goste!

http://emeurgente.blogspot.com/2009/06/mais-ahhh-um-recadinho-bem-gaucho.html

Um super abração Claudinho! uma semana 10!

Claudio Silva disse...

Juber!!

Teria mais a acrescentar sobre seu post, porém meu tempo está muito curto mesmo e o que escreveu demonstra muito como se comporta o evangélico diante de tragédias que é fruto de uma forma de pensar vigente que comentei em seu blog que é um cristianismo de mercado.
Gostei de seu blog que linquei lá do Pr. Ciro e sempre que possível estarei lendo e comentando.
Um abraço e obrigado por sua visita e comentário.

Claudio Silva disse...

Opa! Pr. Leandro.

Li seu comentário no Genizah e parece que estamos afinados nas opiniões.
Mas como vc escreveu "tristeza" e "lamentável" tudo isto e como Jesus disse "Bem aventurado os que consolam, porque serão consolados" Acho que o irmão em questão perdeu a "oportunidade" de ser um consolador e de fato levar uma mensagem que confortasse os familiares desta tragédia. Que todos nós possamos estar orando para que da tragédia a esperança possa renascer no coração de todos.
Deixei um comentário na música do gaudério. Obrigado pela dica.

Um abraço e uma semana de esperança e misericórdia sobre todos nós.